Mecânica em Geral Diesel

(11) 2422-6367

Bomba injetora - Todo cuidado é pouco

Veja como identificar os problemas da bomba injetora e retirá-la corretamente em casos de manutenção

Bomba injetora

A bomba injetora é um dos componentes mais importantes do sistema de alimentação dos veículos diesel. Ela é responsável por injetar o combustível no motor para que ocorra a combustão. Esse trabalho é realizado em conjunto com o regulador de rotação, que controla todas as faixas de rotação de acordo com a carga aplicada ao motor e o seu funcionamento, dosando a quantidade de diesel injetado e o início de injeção correto para a melhor combustão.
Nos motores eletrônicos esse processo é gerenciado pelas unidades eletrônicas de comando. Mas, nos modelos mecânicos, a bomba é regulada manualmente por profissionais especializados (bombistas) e com o auxílio de ferramentas específicas, além de diversos testes realizados em um equipamento apropriado. Quando a bomba está regulada e o motor em bom estado, o funcionamento é perfeito e respeita as leis de emissão de poluentes, proporcionando desempenho e consumo estabelecidos pela montadora.


O caminho do diesel
O combustível é aspirado do tanque até a bomba injetora pela ação positiva de uma bomba de transferência (pré-alimentadora). Em seguida, passa por um pré-filtro para remover as partículas contaminantes. A bomba de transferência, então, fornece à injetora o combustível em baixa pressão. O diesel passa pelo filtro de combustível antes de chegar à bomba. Ela comprime o combustível até os injetores, onde atingem altas pressões, necessárias para a atomização e queima nas câmaras de combustão, enviando-o por linhas individuais, para cada injetor. Ao alcançar o injetor, o combustível comprimido provoca o acionamento da agulha que veda os orifícios do injetor com a câmara de combustão, vencendo a carga de uma mola e calços que determinam sua pressão de abertura e possibilita a entrada do diesel de forma otimizada. A fuga de combustível ao redor da agulha para refrigeração é recolhida pelo coletor de retorno, que o envia por uma conexão e pela tubulação de retorno ao tanque.